Como preparar um currículo




O currículo é o cartão de visita do candidato à vaga de emprego. Ele deve estar atualizado, claro e objetivo. Não se destina à pessoa que o fez, nem a um colega, mas ao mercado de trabalho. Assim, o padrão do mercado é que deve comandar sua elaboração. A elaboração do currículo deve ser focada na vaga pretendida e nas expectativas do empregador; por isso siga algumas dicas:

• Reserve tempo para preparar o currículo
• Tenha em mãos todos os dados necessários
• Datas de início e saída de empregos anteriores
• Informações acadêmicas
• Cursos e eventos em que participou
• Direcione as informações para a vaga / área pretendida
• Seja objetivo
• Revise várias vezes para evitar erros de português
• Exponha seu objetivo de acordo com a vaga pretendida

Evite no currículo

• Informações desatualizadas
• Informações incompletas
• Escrever demais
• Desleixo
• Uso de pronomes pessoais “eu desenvolvi um projeto”, substitua por “desenvolvimento de projeto”
• Foto
• Exagerar nos enfeites
• Jamais faça o currículo a mão
• Pretensão salarial
• Se você não possui algum tipo de conhecimento (ex. idiomas), não coloque
• Citar detalhes dos dados pessoais: RG, carteira de habilitação e CPF e etc.
• Não assine o currículo
• Não citar hobbies

Deve ser separado da seguinte forma

• Dados pessoais básicos: Nome completo, endereço completo, telefone (residencial, celular, ou para recado quando necessário e devidamente identificado). Coloque o nome em destaque, com letras maiúsculas, no topo da página, centralizado.

• Objetivo: Escrever de forma direta e objetiva. Ex: Administração, vendas. Afinal nenhum profissional faria qualquer trabalho, todos devem ter suas preferências, interesses e competências mais específicos.

• Formação acadêmica ou Escolaridade: Deve-se conter nome da instituição, o último grau obtido e ano de conclusão (mesmo que ainda não tenha concluído)

• Experiência Profissional: Em ordem decrescente, ou seja, do último ou mais recente para os primeiros, mais antigos. Na menção de cada empresa em que trabalhou posição ocupada, a data ou período deve vir primeiro, pois isso facilita a leitura que o selecionador irá fazer. Nessa parte, deve constar uma breve descrição do ramo de atividade da empresa seguido das principais realizações profissionais do candidato, o cargo ocupado e as atividades executadas de forma sucinta e clara.

• Cursos Complementares e Palestras: citar da mesma forma que no item “Formação Pretendida” e desde que tenham relação com o cargo pretendido.

• Formato e aparência do currículo: antes de escrever o modelo final, revise-o com duas ou três pessoas para checar as informações e verificar a correção ortográfica. Erros de português, gramaticais, ortográficos ou de concordância, comprometem seriamente o currículo. Peça ajuda!

Basicamente, o que um empregador quer saber de você quando olha o seu currículo são:

Onde você já trabalhou?
O que você já fez por outra empresa?
O que pode fazer pela empresa dele?

Fonte: Prefeitura de São Paulo

Como se comportar durante uma entrevista de emprego




Nos processos seletivos realizados nas empresas, geralmente são realizadas entrevistas, dinâmicas de grupo, provas e/ou testes com a finalidade de avaliar o perfil dos candidatos.

Em resumo, um empregador quer saber:

Quem é você?
O que você já fez?
O que sei fazer?
O que gosto de fazer?
Em que posso melhorar?
Por que você saiu do último emprego?
Por que você deveria ser contratado para esta vaga?

A entrevista

O selecionador está apenas interessado em saber como você pode beneficiar a empresa.
São feitas muitas perguntas e o candidato precisa estar preparado para respondê-la com total confiança, para assim fazer com que o entrevistador acredite nas respostas.

Antes de ir para entrevista, o candidato deve se preparar.

Seguem algumas dicas:

• Procure conhecer a empresa antes da entrevista;
• Nunca se atrase e nem chegue muito antes do horário marcado;
• Boa apresentação (boa higiene, cabelos e barbas feitos; unhas cortadas e limpas); roupas discretas (mulheres sem decote e homens sem boné); jamais use óculos escuro;
• Fale com clareza e seja objetivo;
• Evite vícios de linguagem e erros de português e nunca use gírias;
• Não fale mal de seus patrões e empresas anteriores;
• Esteja preparado para responder sua pretensão salarial, horário de trabalho, disponibilidade de mudar de cidade, etc.;
• Procure enfatizar além dos cargos ocupados, as contribuições que você trouxe para a empresa;
• Evite dar respostas curtas (ex. sim, não e é);
• Não faça piadas, mastigue chicletes ou balas e não fume;
• Não minta;
• Não leve outra pessoa com você;
• Cuide do seu hálito;
• Desligue o celular;
• Não demonstre impaciência;
• Não mexa nas coisas do entrevistador e nem crie intimidade com o mesmo.
• Contato visual: Seja firme, olhe nos olhos;
• Atitude (não mascar chicletes, não usar boné, seja simpático, tanto com o porteiro, quanto com o selecionador;
• Tom de voz (não fale muito alto nem muito baixo);
• Conhecer seu currículo (leia-o);

O que esperar de uma entrevista?

O que o empregador espera:

Confirmar os dados já apresentados no currículo;
Recolher outras informações;
Verificar o perfil do candidato.
O que o entrevistado pretende:
Demonstrar as suas competências e capacidades;
Convencer o empregador;
Verificar se a vaga corresponde àquilo que esperava.

Perguntas frequentes nas entrevistas:

• Fale sobre você (responda apenas o que for perguntado)
• Quanto quer ganhar?
• Por que deixou o último emprego?
• Quais são seus objetivos?
• O que você procura num emprego?
• Por que acha que devemos contratá-lo?
• Diga seus pontos fortes e seus pontos fracos.
• Com que tipo de pessoa você tem dificuldade para trabalhar?
• O que você pode contribuir para nossa empresa?

Dinâmica de grupo:

• Usada para identificar certas características das pessoas e como se relacionam com os outros;
• O que será analisado pelo selecionador é, o seu comportamento e posicionamento diante de uma situação teste;
• Não desanime! Não é porque você cometeu um erro que você não pode consertá-lo durante o processo.

Competências geralmente analisadas na dinâmica de grupo:

• Iniciativa (evite falar em excesso ou impedir que os outros participem);
• Determinação;
• Trabalho em equipe.
Preste atenção nas instruções do selecionador;
Seja natural, interaja e seja o mais participativo possível;
Não tente impor seu ponto de vista;
Procure não ofuscar os outros membros da equipe;
Tome cuidado com as gírias e os erros de português;
Administre o tempo de cada atividade.
Tipos de dinâmica
• Atividades lúdicas: servem para descontrair e deixar os candidatos se comportarem da forma mais natural possível;
• Perguntas do tipo “Que animal (sorvete, cidade, objeto) você gostaria de ser?” ou “Em que ano preferia ter nascido?” têm como objetivo avaliar a criatividade, a originalidade, a velocidade de raciocínio dos candidatos e para revelar a forma como o profissional se vê;
• Como garantir a sobrevivência do grupo após um naufrágio? O que levar em uma expedição ao deserto do Saara? Nesse tipo de atividade, não existe resposta certa ou errada. A prova avalia bom poder de argumentação, a coerência e a capacidade de estratégia do profissional;
• Provas situacionais são bastante comuns em dinâmicas de grupo. Resumem-se a simulações de situações de trabalho, o mais próximas possível do real. O objetivo é analisar de que forma os candidatos exerceriam funções específicas do cargo pretendido. Podem ser aplicadas individual ou coletivamente.

Fonte: Prefeitura de São Paulo

Saiba como criar o currículo ideal para o primeiro emprego




busca pelo primeiro estágio ou emprego é um momento marcado por novos desafios e responsabilidades. “Há uma série de conflitos e ansiedade ocasionados, muitas vezes, pela dificuldade de não saber por onde começar”, afirma a psicóloga e assessora de carreira Elen Souza.

Nessa etapa, segundo Elen, um currículo bem preparado pode ser um diferencial. “O importante nesse momento é o candidato encontrar a melhor forma de expor conhecimentos e atividades que desenvolveu.”

Não é incomum o jovem lidar com dificuldades e confusão nessa hora, de acordo com a mestre em cultura organizacional e especialista em administração de recursos humanos Rita Brum.

“Cuidados simples como revisar ortografia, não sujar o papel ou imprimir com falhas na tinta parecem óbvios, mas já recebi muitos documentos que não cumpriam esses requisitos básicos”, aponta.

Dicas para preparar o currículo

O que não pode faltar

Dados pessoais como nome completo, idade e estado civil devem aparecer logo no início. É fundamental incluir também telefone e e-mail para que a empresa possa entrar em contato facilmente.

Objetivo

Este item demonstra que o jovem sabe em qual posição pode contribuir melhor para a empresa. Caso haja receio em relação ao cargo, uma boa estratégia é mencionar apenas a área de interesse: administrativa, financeira etc. Evite indicar mais de uma área.

Resumo de qualificações

Aqui entram os principais conhecimentos na área desejada, como habilidades com informática, organização de documentos, auxílio às áreas, elaboração de planilha, atendimento ao cliente, entre outros.

Formação

Quem está na faculdade deve indicar o nome da instituição, curso, previsão da data de término e período (diurno, vespertino ou noturno).

Aqui entram também cursos técnicos, de idiomas, intercâmbios e outros, em ordem de importância: primeiro a graduação, depois cursos técnicos, e assim por diante. Cite o tema e as instituições de cada experiência.

Rita Brum atenta para a coerência na hora de incluir cursos. “O curso de barman não significa nada se a vaga é para office boy, mas pode ser um diferencial se a oportunidade é para ajudante de cozinha, por exemplo”, explica.

Experiência profissional

Para quem busca o primeiro estágio ou emprego, vale ressaltar as experiências ou atividades em instituições de ensino, estágios, trabalhos voluntários, habilidades, aptidões, vivências internacionais, projetos individuais e coletivos na escola e prêmios estudantis.

“Aqui vale todo trabalho que envolva contato com pessoas e instituições. A experiência pessoal de cada um é muito rica, e isso pode ser uma vantagem, mas é necessário coerência com a vaga desejada”, destaca Rita Brum.

Para aumentar as chances

Oportunidades

Essa é a hora de utilizar a internet a seu favor: procure vagas em classificados on-line e nos links de “Trabalhe Conosco” nos sites das empresas. Outra boa estratégia é ficar atento ao mural da faculdade ou de instituições que oferecem cursos e qualificação.

Tente expandir sua rede de contatos (professores, colegas, empregadores) para divulgar sua busca e encontrar mais oportunidades.

Cuidados 

Evite e-mails muito descolados ou diferentes, que tenham apelidos e expressões informais.

Esse é o momento de abrir uma nova conta, mais profissional, e acessá-la todos os dias, para não perder convites para entrevista, testes on-line e outras seleções de emprego.

Avise às pessoas que moram na sua casa que você enviou muitos currículos e espera ligações. Reforce a importância de anotar os dados (empresa, telefone, endereço e ponto de referência) de quem entrou em contato.

Ajuda profissional 

Em caso de muita dificuldade, busque ajuda de um orientador vocacional.

O profissional vai tentar conhecer seus desejos, identificações, habilidades e afinidades. Assim, fica mais fácil elaborar um documento que destaque competências e qualificações.

O que deve ficar de fora

Título

“Muitas pessoas ainda usam ‘Curriculum Vitae’, um termo ultrapassado”, conta a assessora de carreira Elen Souza. Ela garante que o item é desnecessário.

Foto

Esse item só deve ser incluído se essa for uma exigência para a vaga desejada. Neste caso, a imagem deve ser 3×4, ter boa qualidade e priorizar uma postura profissional.

Número de documentos

“As empresas, em sua maioria, só necessitam destes dados no momento da contratação”, explica Elen. Além disso, é importante tomar cuidado com essas informações. “Lembre-se que qualquer pessoa pode ter acesso ao seu currículo”, alerta.

Pretensão salarial

Assim como a foto, este item só deve ser incluído em casos nos quais a empresa solicita. “É importante demonstrar flexibilidade. Um emprego com salário um pouco mais baixo, porém com muitos benefícios, pode ser o desejo de muitos profissionais”, atenta Elen Souza.

Assinatura

Alguns documentos que pedem assinatura no final, como uma carta, por exemplo. Nesse caso, é algo totalmente dispensável.

Personalidade

O mais recomendável é não destacar esses atributos e falar (ou demonstrar) as qualidades na entrevista de emprego.

“Aposte em informações objetivas, que demonstrem o desejo de crescimento profissional. Mencione trabalhos voluntários, cursos, estágios, projetos, entre outros”, aconselha Rita Brum.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Senac e da Catho

Confira cinco dicas para mandar bem na entrevista de emprego




1) Fazer a lição de casa: “por que você quer trabalhar aqui?”. Esse tipo de pergunta é frequente em uma entrevista de emprego. Muitas empresas buscam profissionais com valores alinhados aos seus e que possam agregar muito profissionalmente.
Por isso, é essencial que o candidato faça a famosa “lição de casa” e pesquise tudo o que puder da empresa que o está entrevistando. A pesquisa deve abranger desde o setor em que a empresa atua, suas características de gestão, desafios e concorrentes.

2) Abra um diálogo: não é apenas respondendo as perguntas do entrevistador que o candidato ganhará pontos com ele. Uma estratégia interessante aos alunos é fazer perguntas que demonstrem, primeiramente, pesquisa sobre informações referentes à empresa e também pela vaga em questão.

3) Cuidado com as mídias sociais: cada vez mais as empresas fazem pesquisas do candidato em questão por meio das redes sociais. Portanto, é essencial que o candidato saiba como usá-las, tomando cuidado com linguagem e conteúdo postado.

4) Seja sincero na entrevista: contar uma mentira ou tentar maquiar a realidade pode ser crucial para a perda da vaga almejada. Lembre-se que o recrutador é uma pessoa treinada para perceber esses deslizes. A dica, mesmo que você esteja sob pressão, nervoso ou ansioso, é tentar ser você mesmo na conversa com o entrevistador.

5) Higiene e traje: para a entrevista, é essencial que o candidato tome cuidado com sua aparência. Portanto, é indicado que cabelos estejam bem penteados, unhas cortadas e limpas, além de vestir roupas que combinem com a área em questão. O ideal é que o candidato use uma roupa bem cuidada e confortável. Na dúvida, prefira cores neutras e formas simples.