Saiba como criar o currículo ideal para o primeiro emprego

busca pelo primeiro estágio ou emprego é um momento marcado por novos desafios e responsabilidades. “Há uma série de conflitos e ansiedade ocasionados, muitas vezes, pela dificuldade de não saber por onde começar”, afirma a psicóloga e assessora de carreira Elen Souza.

Nessa etapa, segundo Elen, um currículo bem preparado pode ser um diferencial. “O importante nesse momento é o candidato encontrar a melhor forma de expor conhecimentos e atividades que desenvolveu.”

Não é incomum o jovem lidar com dificuldades e confusão nessa hora, de acordo com a mestre em cultura organizacional e especialista em administração de recursos humanos Rita Brum.

“Cuidados simples como revisar ortografia, não sujar o papel ou imprimir com falhas na tinta parecem óbvios, mas já recebi muitos documentos que não cumpriam esses requisitos básicos”, aponta.

Dicas para preparar o currículo

O que não pode faltar

Dados pessoais como nome completo, idade e estado civil devem aparecer logo no início. É fundamental incluir também telefone e e-mail para que a empresa possa entrar em contato facilmente.

Objetivo

Este item demonstra que o jovem sabe em qual posição pode contribuir melhor para a empresa. Caso haja receio em relação ao cargo, uma boa estratégia é mencionar apenas a área de interesse: administrativa, financeira etc. Evite indicar mais de uma área.

Resumo de qualificações

Aqui entram os principais conhecimentos na área desejada, como habilidades com informática, organização de documentos, auxílio às áreas, elaboração de planilha, atendimento ao cliente, entre outros.

Formação

Quem está na faculdade deve indicar o nome da instituição, curso, previsão da data de término e período (diurno, vespertino ou noturno).

Aqui entram também cursos técnicos, de idiomas, intercâmbios e outros, em ordem de importância: primeiro a graduação, depois cursos técnicos, e assim por diante. Cite o tema e as instituições de cada experiência.

Rita Brum atenta para a coerência na hora de incluir cursos. “O curso de barman não significa nada se a vaga é para office boy, mas pode ser um diferencial se a oportunidade é para ajudante de cozinha, por exemplo”, explica.

Experiência profissional

Para quem busca o primeiro estágio ou emprego, vale ressaltar as experiências ou atividades em instituições de ensino, estágios, trabalhos voluntários, habilidades, aptidões, vivências internacionais, projetos individuais e coletivos na escola e prêmios estudantis.

“Aqui vale todo trabalho que envolva contato com pessoas e instituições. A experiência pessoal de cada um é muito rica, e isso pode ser uma vantagem, mas é necessário coerência com a vaga desejada”, destaca Rita Brum.

Para aumentar as chances

Oportunidades

Essa é a hora de utilizar a internet a seu favor: procure vagas em classificados on-line e nos links de “Trabalhe Conosco” nos sites das empresas. Outra boa estratégia é ficar atento ao mural da faculdade ou de instituições que oferecem cursos e qualificação.

Tente expandir sua rede de contatos (professores, colegas, empregadores) para divulgar sua busca e encontrar mais oportunidades.

Cuidados 

Evite e-mails muito descolados ou diferentes, que tenham apelidos e expressões informais.

Esse é o momento de abrir uma nova conta, mais profissional, e acessá-la todos os dias, para não perder convites para entrevista, testes on-line e outras seleções de emprego.

Avise às pessoas que moram na sua casa que você enviou muitos currículos e espera ligações. Reforce a importância de anotar os dados (empresa, telefone, endereço e ponto de referência) de quem entrou em contato.

Ajuda profissional 

Em caso de muita dificuldade, busque ajuda de um orientador vocacional.

O profissional vai tentar conhecer seus desejos, identificações, habilidades e afinidades. Assim, fica mais fácil elaborar um documento que destaque competências e qualificações.

O que deve ficar de fora

Título

“Muitas pessoas ainda usam ‘Curriculum Vitae’, um termo ultrapassado”, conta a assessora de carreira Elen Souza. Ela garante que o item é desnecessário.

Foto

Esse item só deve ser incluído se essa for uma exigência para a vaga desejada. Neste caso, a imagem deve ser 3×4, ter boa qualidade e priorizar uma postura profissional.

Número de documentos

“As empresas, em sua maioria, só necessitam destes dados no momento da contratação”, explica Elen. Além disso, é importante tomar cuidado com essas informações. “Lembre-se que qualquer pessoa pode ter acesso ao seu currículo”, alerta.

Pretensão salarial

Assim como a foto, este item só deve ser incluído em casos nos quais a empresa solicita. “É importante demonstrar flexibilidade. Um emprego com salário um pouco mais baixo, porém com muitos benefícios, pode ser o desejo de muitos profissionais”, atenta Elen Souza.

Assinatura

Alguns documentos que pedem assinatura no final, como uma carta, por exemplo. Nesse caso, é algo totalmente dispensável.

Personalidade

O mais recomendável é não destacar esses atributos e falar (ou demonstrar) as qualidades na entrevista de emprego.

“Aposte em informações objetivas, que demonstrem o desejo de crescimento profissional. Mencione trabalhos voluntários, cursos, estágios, projetos, entre outros”, aconselha Rita Brum.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Senac e da Catho